quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Reflexão: O que a Bíblia fala sobre os acontecimentos e questionamentos humanos?

14:42:00 0 Comments


            Desde cedo ouvi meus pais comentarem sobre Jesus. As tradições sempre estiveram presentes dentro da família, inclusive, meu avô costumava brigar conosco se colocássemos o dinheiro acima do pedido da bênção diária. No entanto, não conheci Jesus assim. Fui encontrada por Ele quando não imaginava que tinha alguém disposto a me amar, e cuidar, mesmo conhecendo todos os meus defeitos e, além disso, eu tinha uma casa, não como as que moramos, mas uma incorruptível. Talvez eu não queira relatar sobre como aconteceu minha conversão, contudo, para falar do que acontece no mundo hoje, preciso introduzir, de alguma maneira, a forma como o Senhor abriu os meus olhos. 

            Enxerguei o mundo durante muito tempo de forma simplista e vaga. A responsabilidade era toda do ser humano, independente do acontecimento. O antropocentrismo era uma das características presentes na minha vida e caráter. Inconscientemente, eu praticava a rebeldia e achava que o único que poderia resolver meus problemas e dar uma visão de futuro a mim era o meu próprio eu. Conhecia o Cristo de ouvir falar, de assistir filmes durante a Páscoa e de ir ao catecismo aos sábados. Nunca fez diferença em meu modo de agir e pensar. As tragédias na natureza, para mim, eram explicadas pela ciência e pelo comportamento estúpido do ser humano e, de verdade, a volta de Jesus não passava pela minha mente, pois as pessoas tratavam-na como “o fim do mundo”. 

            Quando sentia a tristeza invadir meu coração, ou a angústia de não saber o que fazer diante das situações complexas, sempre chorei sozinha. Meus pensamentos não eram compartilhados com ninguém na hora em que o corpo tremia e as lágrimas rolavam com intensidade causando soluços. Todas as coisas me eram lícitas, mas a frase ainda não era completa e fixa, como agora é. Entendi que nem tudo convém, mesmo quando todos dizem que não há problema. 

            Depois de muito tempo vivendo para mim mesma e enxergando todos os desastres como algo natural, e físico, o véu que havia em minha face, impedindo meus olhos de enxergarem o Criador do universo como Ele é, foi retirado pelo Espírito Santo. Jesus segurou minha mão e fez com que meu coração compreendesse que, a partir dali, tudo teria uma explicação por fé, mas completamente verdadeira e racional. Algumas pessoas, por exemplo, não entendem como posso dizer que a fé cristã é racional, porém, ela é completamente fiel a toda a criação. Analise a palma de suas mãos, o movimento de cada articulação do teu corpo, a forma como as nuvens são postas no céu; como elas se dispersam e, ao mesmo tempo, se unem lindamente. Elas fazem o intermédio entre céu e terra, assim como o mar esconde seus segredos no mais íntimo de seu ser. Não é racional dizer que existe um Criador para todas estas coisas? O logos, o verbo, a Palavra é o próprio Jesus. 
            Não quero comprar briga com você que pensa de uma forma diferente, desejo apenas mostrar, com carinho, que tudo tem uma explicação, e o cumprimento das Escrituras. Nas últimas semanas tivemos grandes desastres, o que causou pânico em muitas esferas sociais. Foi registrado o maior terremoto da história do México em 100 anos; vimos a Coreia do Norte achar normal a realização de um teste nuclear no oceano e, hoje, infelizmente, fui obrigar a ler: “Segurança de creche em Janaúba ateia fogo em crianças; quatro morrem, diz Corpo de Bombeiros. Homem também ateou fogo em seu próprio corpo e está em estado grave. Inicialmente, Bombeiros informaram que seis crianças haviam morrido” G1, 05/10/2017. Isso me lembra o que está escrito em Mateus 24:6-12: “Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim. Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares. Tudo isso será o início das dores. Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa. Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará”. 

            O homem deseja explicar o mundo através de sua própria razão e conceitos. Sua comodidade, pensamento e popularidade são prioridades. Estudando filosofia e sociologia pude perceber que grande parte dos pensadores da Grécia Antiga, e alemães que se propuseram analisar a sociedade, tem a ideia de que o centro do mundo é o “eu”. Desejaram excluir a religião da sociedade, pois achavam-na retrógrada e escravista, para colocar toda a confiança no que se pode tocar e provar pela ciência, fazendo deles escravos dos próprios pensamentos e fracos para reprimirem seus lados negativos. Contraditório, não? 

            A respeito da “sabedoria” humana, a Bíblia diz: “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se. Dizendo-se sábios, tornam-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.”. 

            Muitas pessoas perguntam pela volta de Jesus, zombam dos cristãos perguntando onde está o Cristo que prometeu voltar. Não preciso usar minhas palavras para responder a tais questionamentos; a própria Bíblia encerra o assunto quando diz: “Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões. Eles dirão: ‘O que houve com a promessa da sua vinda? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação’. Mas eles deliberadamente se esquecem de que há muito tempo, pela palavra de Deus, existem céus e terra, esta formada da água e pela água. E pela água o mundo daquele tempo foi submerso e destruído. Pela mesma palavra os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para destruição dos ímpios. Não se esqueçam disto, amados: para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não demora em cumprir sua promessa, como julgam alguns. Ao contrário, ele é paciente com vocês, não querem que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento.”.
            Jesus é real, e coerente.
            “Provem, e vejam como o Senhor é bom. Como é feliz o homem que nele se refugia! ” – Salmos 34:8

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Egocentrismo

19:28:00 0 Comments


         Existiu um homem em Gerasa, fronteira da Galileia, que passava por grande aflição. Ele foi tomado por uma legião de demônios e, há muito, “não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém, vivia nos sepulcros” (Lucas 8:27). O estado dele chamou minha atenção, no entanto, o que fez com que eu, de fato, sentisse paixão pelo texto foi o fato dele ter se prostrado diante de Jesus quando O viu. Lembrei-me de quando a Palavra de Deus diz: “Como está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores a Deus” (Romanos 14:11). O Senhor Jesus é majestoso, poderoso, Rei Eterno. Todo poder e autoridade está em Suas mãos (Mateus 28:18).

         Não quero parar por aqui. – Lembro-lhes que o texto tem continuidade e ele diz que Jesus libertou aquele homem do poder das trevas e fez dele são e em perfeito juízo. O versículo 35 do capítulo 8 diz: “... De fato, acharam o homem de quem saíram os demônios, vestido, em perfeito juízo, assentado aos pés de Jesus; e ficaram dominados de terror”. O Mestre libertou aquele homem retirando a legião e pondo-a nos porcos, os quais caíram do penhasco e morreram afogados. O homem foi liberto, contudo, os moradores daquela região não se sentiram satisfeitos, muito menos contentes, com o acontecido. Ali existiam muitos porqueiro e eles, assustados com a quantidade de animais que haviam perdido, expulsaram Jesus da cidade.

         Chamo atenção a algo de extrema importância. Mesmo Jesus tendo feito o bem, demonstrado Seu poder e senhorio, e o homem ter tornado ao seu estado natural, as pessoas continuaram pensando em bens materiais e “prejuízos” financeiros. O homem tem uma grande tendência ao egocentrismo. Tudo parece girar em torno do ser humano e, por isso, muitos tentam encontrar algo inferior a eles para ter como “prova” que Deus não existe; algo que se possa explicar/palpar. O homem parece não querer alguém com mais autoridade e domínio. Não conseguem enxergar que Deus é infinitamente maior do que qualquer coisa que existiu, existe ou venha a existir. O Senhor declarou perante os judeus: “Em verdade, em verdade vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU” (João 8:58). Ele é o Verbo, o Criador do mundo (João 1:1-3).

         A grande maioria não valorizou, todavia, o homem que foi curado por Jesus soube aproveitar para ficar a seus pés aprendendo mais sobre Aquele que pode todas as coisas e que havia realizado um milagre em sua vida. Ele clamou ao Mestre que o permitisse acompanha-lo, porém, o Senhor tinha uma missão, uma espécie de propósito para aquele ser humano que ansiava por mais de Deus: “Volta para casa e conta aos teus tudo o que Deus fez por ti” (Lucas 8:39). E ele foi. Todas as coisas que Jesus lhe fizera foram anunciadas. Sabe, egocentrismo representa alguém egoísta, ou seja, que se importa mais consigo mesmo do que com qualquer outra pessoa. Não sejamos como os porqueiros de Gerasa mas, sim, servos humildes que reconhecem a importância de estar aos pés do Único capaz de salvar, curar, restaurar, santificar. Ele pode todas as coisas.


domingo, 6 de agosto de 2017

A parábola da candeia

15:52:00 0 Comments


            Parar e refletir sobre estar longe de uma congregação é algo complicado. Sempre enfatizamos o fato de precisarmos de pessoas que estejam ao nosso lado dando força para prosseguir na caminhada com Cristo, a qual eu já relatei em outros artigos não ser fácil como alguns imaginam. Bom, quero partir do ponto onde Jesus disse que seus discípulos são sal da terra e luz do mundo (Mateus 5:13-16). 

         Em Lucas 8:16 está escrito: “Ninguém, depois de acender uma candeia, a cobre com um vaso ou a põe debaixo de uma cama; pelo contrário, coloca-a sobre um velador, a fim de que os que entram vejam a luz”. Todos nós temos responsabilidades sobre os ombros e a de um cristão, primeiramente, é anunciar o Reino de Deus com dons e talentos, dados pelo Espírito Santo de acordo com Sua vontade. Estar em uma congregação é de suma importância para o crescimento daquele que busca ao Senhor, contudo, não basta estar lá. Ter para onde ir durante toda a semana não é suficiente; é necessário conhecer a realidade das pessoas que estão, literalmente, no mundo. 

         Jesus tem ensinado a mim que quando recebo algo especial Dele é para que eu use na propagação de Seu Reino e na salvação de almas. Alguns foram separados para ensinar apenas nas congregações, porém, outros tem algumas oportunidades de serem espelho de Cristo em locais diversos. Antes, eu não concordava com tal afirmação pois achava que meu papel era levar pessoas que já conhecem a Palavra a terem mais intimidade e profundidade no relacionamento com Jesus, contudo, deparei-me com a seguinte realidade: devo batalhar pela fé que me foi dada, fazer discípulos e cumprir o “Ide”, independentemente de onde eu esteja. 

         Enquanto iniciava a leitura bíblica deparei-me com este texto que lemos (Lucas 8:16) e conversei com o Senhor enquanto dava continuidade ao ato de ler e senti Seu Espírito dizer-me que quando estou presa a realidade “religiosa” de mostrar a Palavra e o caráter de Jesus somente aos que já O buscam acabo me isolando de muitos que não tem nenhum tipo de contato com Deus. Existem pessoas de todas as classes, níveis, estaturas, pensamentos e ideologias que ainda não foram confrontados pelo que é, de fato, ser um cristão ou enxergar a glória de Deus. Jesus diz que “ninguém, depois de acender uma candeia, a cobre com um vaso ou a põe debaixo de uma cama”. Prestemos atenção em alguns detalhes agora. Ele disse: “depois de acender”. Ou seja, Deus acendeu em nós a Sua luz, portanto, agora Cristo deseja pôr-nos no velador, um local onde essa luz resplandeça e ilumine vidas que ainda estão em trevas.