segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Egocentrismo

19:28:00 0 Comments


         Existiu um homem em Gerasa, fronteira da Galileia, que passava por grande aflição. Ele foi tomado por uma legião de demônios e, há muito, “não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém, vivia nos sepulcros” (Lucas 8:27). O estado dele chamou minha atenção, no entanto, o que fez com que eu, de fato, sentisse paixão pelo texto foi o fato dele ter se prostrado diante de Jesus quando O viu. Lembrei-me de quando a Palavra de Deus diz: “Como está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores a Deus” (Romanos 14:11). O Senhor Jesus é majestoso, poderoso, Rei Eterno. Todo poder e autoridade está em Suas mãos (Mateus 28:18).

         Não quero parar por aqui. – Lembro-lhes que o texto tem continuidade e ele diz que Jesus libertou aquele homem do poder das trevas e fez dele são e em perfeito juízo. O versículo 35 do capítulo 8 diz: “... De fato, acharam o homem de quem saíram os demônios, vestido, em perfeito juízo, assentado aos pés de Jesus; e ficaram dominados de terror”. O Mestre libertou aquele homem retirando a legião e pondo-a nos porcos, os quais caíram do penhasco e morreram afogados. O homem foi liberto, contudo, os moradores daquela região não se sentiram satisfeitos, muito menos contentes, com o acontecido. Ali existiam muitos porqueiro e eles, assustados com a quantidade de animais que haviam perdido, expulsaram Jesus da cidade.

         Chamo atenção a algo de extrema importância. Mesmo Jesus tendo feito o bem, demonstrado Seu poder e senhorio, e o homem ter tornado ao seu estado natural, as pessoas continuaram pensando em bens materiais e “prejuízos” financeiros. O homem tem uma grande tendência ao egocentrismo. Tudo parece girar em torno do ser humano e, por isso, muitos tentam encontrar algo inferior a eles para ter como “prova” que Deus não existe; algo que se possa explicar/palpar. O homem parece não querer alguém com mais autoridade e domínio. Não conseguem enxergar que Deus é infinitamente maior do que qualquer coisa que existiu, existe ou venha a existir. O Senhor declarou perante os judeus: “Em verdade, em verdade vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU” (João 8:58). Ele é o Verbo, o Criador do mundo (João 1:1-3).

         A grande maioria não valorizou, todavia, o homem que foi curado por Jesus soube aproveitar para ficar a seus pés aprendendo mais sobre Aquele que pode todas as coisas e que havia realizado um milagre em sua vida. Ele clamou ao Mestre que o permitisse acompanha-lo, porém, o Senhor tinha uma missão, uma espécie de propósito para aquele ser humano que ansiava por mais de Deus: “Volta para casa e conta aos teus tudo o que Deus fez por ti” (Lucas 8:39). E ele foi. Todas as coisas que Jesus lhe fizera foram anunciadas. Sabe, egocentrismo representa alguém egoísta, ou seja, que se importa mais consigo mesmo do que com qualquer outra pessoa. Não sejamos como os porqueiros de Gerasa mas, sim, servos humildes que reconhecem a importância de estar aos pés do Único capaz de salvar, curar, restaurar, santificar. Ele pode todas as coisas.


domingo, 6 de agosto de 2017

A parábola da candeia

15:52:00 0 Comments


            Parar e refletir sobre estar longe de uma congregação é algo complicado. Sempre enfatizamos o fato de precisarmos de pessoas que estejam ao nosso lado dando força para prosseguir na caminhada com Cristo, a qual eu já relatei em outros artigos não ser fácil como alguns imaginam. Bom, quero partir do ponto onde Jesus disse que seus discípulos são sal da terra e luz do mundo (Mateus 5:13-16). 

         Em Lucas 8:16 está escrito: “Ninguém, depois de acender uma candeia, a cobre com um vaso ou a põe debaixo de uma cama; pelo contrário, coloca-a sobre um velador, a fim de que os que entram vejam a luz”. Todos nós temos responsabilidades sobre os ombros e a de um cristão, primeiramente, é anunciar o Reino de Deus com dons e talentos, dados pelo Espírito Santo de acordo com Sua vontade. Estar em uma congregação é de suma importância para o crescimento daquele que busca ao Senhor, contudo, não basta estar lá. Ter para onde ir durante toda a semana não é suficiente; é necessário conhecer a realidade das pessoas que estão, literalmente, no mundo. 

         Jesus tem ensinado a mim que quando recebo algo especial Dele é para que eu use na propagação de Seu Reino e na salvação de almas. Alguns foram separados para ensinar apenas nas congregações, porém, outros tem algumas oportunidades de serem espelho de Cristo em locais diversos. Antes, eu não concordava com tal afirmação pois achava que meu papel era levar pessoas que já conhecem a Palavra a terem mais intimidade e profundidade no relacionamento com Jesus, contudo, deparei-me com a seguinte realidade: devo batalhar pela fé que me foi dada, fazer discípulos e cumprir o “Ide”, independentemente de onde eu esteja. 

         Enquanto iniciava a leitura bíblica deparei-me com este texto que lemos (Lucas 8:16) e conversei com o Senhor enquanto dava continuidade ao ato de ler e senti Seu Espírito dizer-me que quando estou presa a realidade “religiosa” de mostrar a Palavra e o caráter de Jesus somente aos que já O buscam acabo me isolando de muitos que não tem nenhum tipo de contato com Deus. Existem pessoas de todas as classes, níveis, estaturas, pensamentos e ideologias que ainda não foram confrontados pelo que é, de fato, ser um cristão ou enxergar a glória de Deus. Jesus diz que “ninguém, depois de acender uma candeia, a cobre com um vaso ou a põe debaixo de uma cama”. Prestemos atenção em alguns detalhes agora. Ele disse: “depois de acender”. Ou seja, Deus acendeu em nós a Sua luz, portanto, agora Cristo deseja pôr-nos no velador, um local onde essa luz resplandeça e ilumine vidas que ainda estão em trevas.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

A parábola do semeador

17:40:00 0 Comments

  Afluindo uma grande multidão e vindo ter com ele gente de todas as cidades, disse Jesus por parábola: Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. Outra caiu sobre a pedra; e, tendo crescido, secou por falta de umidade. Outra caiu no meio dos espinhos; e estes, ao crescerem com ela, a sufocaram. Outra, afinal, caiu em boa terra; cresceu e produziu a cento por um; Dizendo isto, clamou: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.”
Lucas 8:4-8

         É notório, no Evangelho, que multidões “seguiam” Jesus. Muitos, no entanto, buscavam a realização de milagres e grandes maravilhas; seus olhos ansiavam pela manifestação do poder que Ele demonstrava ter. O Senhor contou-nos a parábola, porém, dispôs-se a ensinar e explicá-la. No versículo de número quatro, podemos enxergar isso que está sendo exposto, contudo, no versículo cinco, é dada a partida do semeador, o qual sai a semear (lançar na terra para fazer germinar). 

         A primeira parte caiu à beira do caminho, ou seja, não atingiu a localização ideal. “Beira” tem alguns significados como, por exemplo, “margem”, “proximidade” e “borda”. A Palavra diz que ela foi pisada, o que traz a memória o texto que está em Atos 17:32: “Quando ouviram falar de ressurreição de mortos, uns escarneceram, e outros disseram: A respeito disso te ouviremos noutra ocasião”. O fim dela: as aves do céu a comeram. Existem pessoas que tem contato com a Verdade, a ouvem, no entanto, não penetra em seus corações, caindo à beira da estrada, não causando nenhum tipo de efeito ou mudança. Jesus explica isso no versículo 12: “A que caiu à beira do caminho são os que a ouviram; vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos”. Vemos, então, que para a salvação, além de ouvir, precisamos crer. 

         A segunda porção caiu sobre a pedra, porém, ao contrário da primeira, cresceu. Tendo aumentado em tamanho, secou por falta de umidade. No versículo 13, Jesus explica que muitas pessoas recebem a palavra com alegria, permitem serem levadas pela maravilha que é ouvir sobre Deus sendo gracioso, amoroso e misericordioso. Contudo, a euforia passa e, quando isso acontece, se desviam do Caminho pois foram firmadas em sentimentos, emoções e eventos específicos. A caminhada com Cristo não é apenas milagres, gargalhadas e agir sobrenatural. Seguir o Filho de Deus requer renúncia, paciência, perseverança. Por estes motivos, muitos, ao chegarem as provações, afastam-se da Fonte e iniciam uma busca contínua, e sem fim, pela felicidade, a qual, verdadeiramente, não existe sem Deus.  

         A terceira parte caiu no meio dos espinhos, os quais cresceram com as sementes. Ao tornarem-se intensos e grandes em estatura e volume sufocaram-nas. - Baseando-me no versículo 14 vejo que, sim, muitos de nós observam a falta, ou abundância, de riquezas e fazemos delas foco e alvo. Jesus diz que esses são abafados, asfixiados pelos cuidados do mundo. Ou seja, levam a sério o que a vida terrena tem a oferecer; os problemas e malícias são absorvidos com veemência por grande parte da população mundial enquanto outros fixam seus olhares no sexo, ganância, diversão e alegria momentânea (de curta duração, rápida, instantânea). 

         A última caiu em boa terra, crescendo e frutificando a cento por um. O que é boa terra? Você já parou e refletiu a respeito? – Jesus nos diz que estes “são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra”. Pensando nisso, primeiramente, observamos que eles ouviram o que foi dito. Na carta de Paulo aos romanos, o apóstolo escreve que “a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (Romanos 10:17). Além de ouvirem, seus corações estavam retos (justos, íntegros, verdadeiros, honestos), ou seja, sem hipocrisia (fingimento, falsidade). Parar e ouvir o que Jesus tem a dizer é algo grandioso, porém, é necessário estarmos dispostos e de coração aberto a receber Seus ensinamentos para, assim, sermos transformados pela Única Palavra que jamais volta vazia (Isaías 55:11). O Senhor ainda diz que estes que tem o coração como “boa terra” retiveram a Palavra e frutificaram com perseverança. Aqui vemos tudo o que não foi feito pelos tipos de pessoas citados anteriormente. A semente aqui não foi pisada e arrancada pelo diabo, nem lhe faltou umidade e, por fim, não foram sufocadas pelas preocupações do mundo. Enquanto lia pedi a Deus que meu coração seja sempre uma boa terra para que Sua palavra seja retida por mim e que eu venha a dar muito fruto. Preciso ser perseverante, nós precisamos. Como eu disse, caminhar com Jesus não é fácil, pelo contrário, exige de nós frutos e muita dedicação e constância. Ouvir, apenas, não basta. É necessário crer e perseverar. “... a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos”, escreveu Judas em sua epístola (Judas 3). Lutemos pela fé que nos foi dada.